Os sentimentos ocultos na maternidade

Para algumas mulheres ser mãe é um grande sonho. Ainda mais quando olhamos aquelas propagandas com aqueles bebês fofos… E os comerciais nos dizem que é só comprar a fralda X que tudo ficará mais prático. Mas na verdade não é só isto, não é mesmo?

Ser mãe é para vida inteira. Parece óbvio o que estou dizendo, mas é sobre estes assuntos que acabamos não refletindo direito. Quando você se torna mãe – biológica ou não – há uma mudança de identidade, você não será mais vista como filha, mas sim como mãe. Falar de maternidade é falar sobre renovação, ou seja, sobre vida e ao mesmo tempo perdas. Pois há uma mudança na rotina da mulher e ela terá uma nova identidade: ser mãe – algo que trará mais responsabilidades. Portanto, há um luto.

Por isto, é importante você, que é mãe ou será mãe, dar um tempo para você se adaptar, pois muitas vezes não mudamos do dia para noite. Não há um manual de como ser mãe, pois sabemos que não há mães perfeitas. E não se sinta mal por não ser perfeita, ninguém é perfeito.

Assim, chegamos aos dois pontos sobre ser mãe, um ponto que geralmente é abordado pela mídia e pela família:

  1. A idealização da mãe – é a quem cuida, alimenta, sustenta, supera qualquer coisa, entre outras.

E o segundo ponto que já não é tão conversado.

2.  A mãe também é ser humano – tem dia que ela não está bem, está cansada, sente raiva, está triste, entre outros.

Estes são os dois lados da mãe que devem ser considerados. Por isso, é importante o apoio da família, amigos, do cônjuge. Além disso, não deixe de informar o seu ginecologista sobre o que você está sentindo, ele também poderá te ajudar – pois durante a gravidez e alguns dias após ao parto ocorrem alterações hormonais nas mulheres e o humor pode ficar alterado.

Portanto,

  • Se a melancolia surgir depois de alguns dias do parto, mas depois sumir em algumas semanas de forma espontânea, pode ficar tranquila. Este episódio pode ser conhecido como Baby Blues.
  • Entretanto, se a tristeza surgir a partir de algumas semanas e durar mais tempo e se agravar, podendo fazer com que mulher tenha dificuldades de fazer suas tarefas do seu dia a dia – pode ser diagnosticada com Depressão Pós-Parto. Por isto, procure um profissional da saúde para te ajudar. Há tratamento!

Enfim, a ideia do texto foi abordar os sentimentos que a mãe pode ter e geralmente não são abordados. Antes de ser mãe, a mulher é ser humano, então ela sorri, chora, se sente alegre, triste, feliz… Ser mãe não é abdicar totalmente dos seus outros papéis, claro que haverá uma maior atenção com o bebê – mas é preciso continuar sendo mulher, filha… É importante continuar cuidando de si, mesmo se for durante 5 minutinhos (espero que você consiga mais tempo!).

Para maiores informações sobre o Baby Blues e a Depressão Pós-Parto segue um link do Instituto de Psicologia da USP bem interessante e didático:

www.ip.usp.br/portal/images/stories/lefam/ATT00026.pdf

Observação:

Qualquer dúvida procure um profissional da saúde! Neste caso específico, um psicólogo, um psiquiatra ou ginecologista poderá te dar um direcionamento para estes casos citados acima.

Amanda Fornaciari Augusto – Psicóloga CRP 06/118369

________________________________________________________________

Curtiu este conteúdo?

facebook_like_logo_1

Um comentário em “Os sentimentos ocultos na maternidade

  1. Parabéns, mensagem muito importante por difundir e tornar evidente um problema que muitos desconhecem e que pode se agravar gerando sérias consequências. Sucesso. 🙏 👼

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s