Como fazer a melhor escolha profissional? É possível?

Escolher a profissão que seguir nem sempre é uma tarefa fácil como alguns imaginam. O que jovem precisa levar em conta no momento da decisão? Uma das dúvidas que eu mais recebo é: “Como eu faço a escolha perfeita? ”. Então, sempre questiono:

__ O que é perfeição para você? O que seria a escolha perfeita?

E muitos me dizem:

__ É escolha que serei feliz na minha profissão.

Então, questiono novamente:

__ E o que é felicidade para você?

E, assim, cada um atribui um significado para o que é perfeição e felicidade, ou seja, é algo subjetivo/individual. Algumas pessoas relacionam a felicidade com a questão do ganho financeiro, outros dizem que querem ajudar a humanidade; outros construir prédios; etc. what-s-that-1527433

Desta forma, podemos começar com a seguinte afirmação: para uma boa escolha é necessário ter o:

  1. CONHECIMENTO SOBRE SI. Muitos podem achar isto fácil, mas será? Sabe aquela pergunta clássica de entrevista: “Quais são seus pontos positivos e os pontos que você precisa se desenvolver”? Então, muitas pessoas morrem de medo desta pergunta, justamente pelo fato de não terem o conhecimento sobre si. Dica: pense no que você gosta de fazer; quais são os seus hobbies; quais as matérias que você ama e as que você não suporta; o que as pessoas falam sobre você; converse com sua família e amigos, peça a opinião deles (mas no final quem decide é você e não os outros!), etc. O outro processo que é preciso ser considerado no momento da escolha é o:
  2. CONHECIMENTO SOBRE AS PROFISSÕES, ou seja, quais são as possibilidades que existem? Quais caminhos que você pode seguir? Não existem apenas cursos do nível superior, há outras formações também. Para você saber disse, você precisa procurar, buscar, ser um investigador!
  3. E por último, CONHECER A REALIDADE, verificar o momento da sociedade; observar a movimentação da sua família, o momento político e econômico do país. Tudo isto pode afetar no momento da escolha. Por exemplo, seu pai é advogado, seu avô também foi e logo todo mundo acha que também você será. Mas será? Então, observe e olhe para si e para as outras oportunidades antes também. Houve épocas em que a sociedade precisava muito de engenheiros, mas reflita: “Será que isto é para sempre ou é apenas por um momento? ”; “Estou escolhendo esta profissão pelo fato de ser ‘modinha’? ”.

Infelizmente preciso dizer que isto não garante que você fará a escolha perfeita (e se existe escolha perfeita; pois perfeição não há!), pois só na prática para sentirmos se realmente aquilo faz sentido para você. Por isso, quanto mais informação você buscar; quando mais curioso você for; quanto mais você se conhecer; quanto mais você conhecer pessoas da área em que deseja atuar, melhor! Se você seguir este caminho, mais chances você terá de realizar suas escolhas de forma mais consiste, consciente e com sentido. course-srb-1-1154518

Não se esqueça: toda escolha traz um luto, pois há uma perda. Você não conseguirá ter tudo na vida, algo será perdido. Mas isto não quer dizer que você nunca fará na vida. Exemplo: atendi um jovem que gostava muito de música, no final decidiu fazer engenharia civil e utilizou a música como o seu hobbie; mas não abandonou.

Mas se este caminho estiver difícil de ser trilhado sozinho, não tenha receio e peça a minha ajuda ou de algum outro orientador profissional! O nosso trabalho é justamente facilitar este processo de escolha e elaborar junto com o orientando o seu projeto de vida.

Amanda Fornaciari Augusto – Psicóloga CRP 06/118369

________________________________________________________________

Curtiu este conteúdo?

facebook_like_logo_1

Precisamos falar sobre Bullying!

Assistiu ao vídeo? Achou engraçado? Por acaso você observou cenas de bullying? Pode ser que não, pois achamos muitas vezes tão normal alguém zombar um do outro e podemos pensar que é apenas uma brincadeira. Mas a tal brincadeira sem graça pode ter uma grave consequência para a pessoa.

Já ouvi muitas pessoas dizendo: “Ah, bullying é modinha. Eu já sofri bullying e nem por isso fiquei mal”. E para estas pessoas eu digo: “Que bom que você conseguiu saber lidar com estas ofensas, mas outras pessoas não conseguem. As consequências podem ser muito sérias, cada pessoa agirá de uma forma e este impacto pode ser observado até a sua vida adulta, ou seja, a consequência pode ser para a vida toda”.

Com o objetivo de chamar atenção a este tema, o dia 20 de outubro é considerado o Dia Mundial Contra o Bullying.

Para ser objetiva vou guiar o meu texto como uma entrevista:

Afinal, o que é bullying?

É um termo que significa comportamentos de violência física ou psicológica de forma frequente e proposital realizada por uma pessoa ou por um grupo (agressor) com o intuito de agredir ou aterrorizar o outro individuo (ou um grupo) que se sente indefeso.

Quais são os tipos de bullying?

Físico: murros, pontapés, pontapés, empurrões, até como roubo de lanche ou material na escola.

Verbal: colocar apelidos vergonhosos ou humilhantes.

Relacional: quando a pessoa ignora a tentativa de aproximação de um colega de forma proposital – isto é muito frequente com os adolescentes e no ambiente de trabalho.

Eletrônico ou Cyberbullying: ocorre quando os ataques são feitos de forma eletrônica/virtual, como: o e-mail, sms, redes sociais, entres outros.

Onde acontece o bullying?

Existia a ideia de que bullying acontecia apenas na escola, porém não. Este comportamento pode ocorrer em qualquer lugar! Isto mesmo, não é apenas na escola, pode ocorrer até mesmo no trabalho ou dentro da própria família.

Como posso agir quando observo um comportamento de bullying?

Em forma de prevenção é importante que na escola e na família tenha a comunicação sobre o respeito, a tolerância ao diferente. Conversar sobre o assunto é a melhor solução, mas é preciso tomar cuidado para não deixar a vítima se sentir mais ofendida, pois poderá a expor mais. Por exemplo: colocar o agressor e a vítima juntos e dizer ao agressor: “Pede desculpas para ele”. E pronto. Pode ser pior, pois o agressor pode posteriormente, agredir mais a vítima, dizendo que ele não sabe se defender.

Um processo de psicoterapia poderá auxiliar a lidar com esta situação. Não apenas a vítima, mas também o agressor e todos as pessoas que estão vivenciando este momento podem se beneficiar com o trabalho do psicólogo.

Quais as consequências do bullying?

As consequências são incalculáveis, pois cada indivíduo lidará de uma forma. O indivíduo pode apresentar baixa autoestima, medo, desmotivação, isolamento, baixo rendimento escolar ou no trabalho, entre outros.

Caso você ou seu filho esteja passando por esta situação como agressor ou como agredido, não tenha receio em procurar ajuda. Converse com a escola, com os professores, com o RH se for o caso, procure ajuda psicológica. Não podemos nos omitir.

Amanda Fornaciari Augusto – Psicóloga – CRP 06/118369

Referências:

– Bullying: prevalência, implicações e diferenças entre os gêneros:http://www.scielo.br/pdf/pee/v16n1/04.pdf

– Bullying, assédio moral e saúde no local de trabalho: http://www.facevv.edu.br/Revista/11/Artigo%203.pdf

– Bullying, o exercício da violência no contexto escolar: reflexões sobre um sintoma social:  http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-36872010000100011

________________________________________________________________

Curtiu este conteúdo?

facebook_like_logo_1